Home > ARTIGOS > Economia seguiu fraca na grande maioria dos setores na primeira metade do ano

ARTIGOS

15/07/2019 12:50 por Redação

Economia seguiu fraca na grande maioria dos setores na primeira metade do ano

Estabilidade da atividade econômica surpreendeu nossas estimativas e as de mercado, que apontavam aceleração do crescimento

Depec-Bradesco*

O primeiro semestre do ano encerrou mostrando estabilidade da atividade econômica. O resultado surpreendeu nossas estimativas e as de mercado, que apontavam aceleração do crescimento. As revisões baixistas ocorreram na maioria dos segmentos, com exceção do agronegócio. Após as recentes revisões altistas, a produção de grãos deverá registrar recorde neste ano. A trajetória é puxada por milho e algodão. Soja e arroz, por sua vez, devem registrar retração. O segmento de proteínas passa por um momento positivo. A demanda externa tem sido crescente e se manterá positiva, especialmente para suíno e frangos.

Enquanto a indústria de transformação está ligeiramente positiva, a extrativa recuou quase 20% neste ano. Apesar da perspectiva de aceleração gradual, a produção da indústria extrativa deverá encerrar o ano em queda. Na indústria de transformação, bens de capital e duráveis seguem com crescimento mais intenso neste início de ano. Já o setor de construção civil está praticamente estável desde 2018. Residencial saiu na frente na retomada, mas o segmento de imóveis comerciais tem mostrado melhora, com queda da taxa de vacância. O maior desafio para o setor de construção talvez ainda esteja no segmento de infraestrutura.

O comércio tem sido destaque positivo, especialmente o varejo de bens duráveis, o que já vinha ocorrendo desde meados de 2017. O setor de serviços segue mais lento, com melhora nos serviços voltados às famílias e de informação. Serviços de saúde também mostram desempenho positivo, com expansão do emprego com carteira assinada.

Esperamos aceleração gradual do crescimento no segundo semestre, baseada no avanço da agenda de reformas, na melhora das condições financeiras e na recuperação da confiança.

Setores em Foco

Residencial: Ritmo ainda lento do mercado de trabalho limita avanço do setor em 2019

O mercado imobiliário residencial manteve trajetória de melhora gradual no início de 2019. O setor seguiu registrando crescimento de lançamentos e vendas. Houve queda de estoques e de distratos. Porém, de um modo geral, o menor dinamismo do mercado de trabalho e o recuo da confiança do consumidor ainda são vetores que restringem um desempenho mais robusto do setor.

Nesse ambiente, o crédito permanece sendo um suporte importante para o segmento. O atual nível da taxa básica de juros no Brasil (e potencialmente menor nos próximos meses) e o reduzido nível de inadimplência ajudam a sustentar o crédito para o setor.

Automotivo: Setor permanece como um dos mais dinâmicos na economia

As vendas de veículos ao mercado interno fecharam o primeiro semestre com crescimento. A demanda externa, entretanto, segue em níveis baixos, limitando o avanço da produção doméstica, em especial no segmento de leves. Já o desempenho do segmento de pesados merece destaque. As vendas internas mais do que compensaram a fraca demanda externa.

No segundo semestre deste ano, o mercado doméstico deve continuar aquecido, ainda que em menor ritmo, em resposta à moderação da produção e da formação de estoques.

Clique no botão DOWNLOAD, logo abaixo, para ler o artigo com gráficos e tabelas

* Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco.

DOWNLOAD '
Enviando